Concerto n.º1 para Laura
[estreia 02.02.2022, são luiz teatro municipal, lisboa]

12.jpg

FICHA TÉCNICA

 

Direcção Artística e coreografia

Sílvia Real

Apoio dramatúrgico e coreografia

Francisco Camacho, Sílvia Real

Intérpretes

Beatriz Valentim, Magnum Soares, Sílvia Real e Ana Sofia Sequeira (participação especial)

Direcção musical

Ana Sofia Sequeira

Assistente Musical

Sérgio Pelágio

Investigação na área

dos Direitos Humanos

Simone Andrade

Apoio guarda-roupa

(a partir do espólio de figurinos

de Ana Teresa Real)

Ainhoa Vidal

Apoio cénico (a partir de antigos adereços)  

Laura Monteiro

Maquilhagem

Rafael Valentini

Desenho de Luz

Tasso Adamopoulos

Operação de Luz

Paulo Cunha

Desenho de Som

Sérgio Milhano (PontoZurca)

Operação de Som 

Pedro Baptista e Sérgio Milhano (PontoZurca) 

Direção de Produção, vídeo, realização e operação de legendas  

Sofia Afonso

Produção Executiva

Isabel Machado, Rodolfo Freitas

Design

Carlos Bártolo

Fotografia

Rita Delille, Estelle Valente

Comunicação

Susana Ribeiro Martins

Assessoria de Imprensa

Showbuzz

Tradução

Catarina Lourenço 

Produção

Produções Real Pelágio

Coprodução

São Luiz Teatro Municipal 

Câmara Municipal de Castelo Branco Câmara Municipal de Torres Vedras 

 

Agradecimentos 

Álvaro Rosso, Ariana Furtado, Beatriz Vicente, Bombeiros Voluntários de Torres Vedras, Diego Lasio, Ermelinda Nunes, Fernando Baggio, Frank Laubenheimer, Grupo 23: silêncio!, João Dias, Laura Monteiro, Luís El Gris, Manon Marques, Mia Vaz, Olinda Gil, Ricardo Sequeira, Simão Bárcia, Simone Domingues, Sofia Pelágio

 

"Sempre pensámos os nossos heróis em conexão com a morte e a guerra" (...) "vivendo nós numa cultura de dominação, escolher verdadeiramente amar é heróico..." 

bell hooks

O palco como lugar de união, combate e utopia. E antes de tudo, o som. Sempre a música como motor: agir, reagir, resistir, reexistir. Permanecer no presente e ensaiar o desejo de um mundo novo e de novas formas de conviver. Acomodar o incómodo, abraçar o risco de falhar. Cantar, dançar, ousar comunicar da forma que melhor sirva uma intenção coletiva de mudança. Recusar a discriminação e as injustiças sociais que persistem e se agigantam à boleia de mais uma crise. Reconstruir, restaurar, reumanizar.

Num tempo noturno de (im)possibilidades, Sílvia Real decidiu mergulhar na sua memória de três décadas de repertório artístico, um universo saturado de referências musicais ecléticas, personagens femininas marcantes e figurinos fantasma. Um mergulho íntimo do qual emergiram com renovado fulgor palavras e canções que, outrora familiares, são agora apropriadas por uma banda em (des)construção, para dar voz ao que mais importa pôr em movimento: a empatia, a cooperação, uma ideia viva de revolução.

Assim é Concerto n.º1 para Laura, uma chamada à realidade e um apelo à ação, para o qual Sílvia Real convocou os seus cúmplices de longa data, o coreógrafo Francisco Camacho, a música Sofia Sequeira, a investigadora Simone Longo de Andrade, a bailarina e cocriadora Beatriz Valentim e o bailarino e cocriador Magnum Soares.

Este espectáculo é dedicado ao músico Pedro Gonçalves (1970-2021)